17 de abr de 2009

Para aquelas que ainda residem no armário

Para aquelas que ainda residem no armário

Diz-se que quando há duas versões de você mesma, é porque uma das partes de você mora em uma prisão.

Mas não seria extremo afirmar isso?

Muito debatemos sobre assumir ou não a nossa sexualidade. Há casos, penso eu, em que a opção de assumir sequer existe. É algo tão longínquo, tão improvável, tão distante da realidade que sequer é visto como uma possibilidade.

Minha esposa sempre diz uma frase que acho muito sóbria: Se você não está preparado para saber, não ache ruim eu ter lhe omitido.

E creio que é bem por aí realmente.

Mas, honestamente, nesta conversa que estou tentando ter com você, eu não estou muito interessada em quem não sabe sobre você. Eu estou interessada em você e na vida que você está se permitindo ter.

Lembro-me que há alguns anos, em um congresso em que eu estava trabalhando como intérprete, eu fui conversar com o rapaz que estava fazendo a tradução simultânea de algumas das palestras e perguntei a ele que técnica de concentração ele utilizava para conseguir ser fiel instantaneamente ao que estava sendo dito.

Ele me disse uma frase que me marcou bastante: Eu sinto como se eu estivesse literalmente separando o meu cérebro em duas partes: e eu deixo uma parte dele responsável por um idioma e a outra parte responsável pelo outro idioma.

Estava lembrando isso no outro dia quando li a coluna da queridíssima LadySports.

A questão é, querida, que não importa realmente se você tem que dividir o seu cérebro em duas partes desde que, no fim, você seja fiel ao que está sendo dito dentro de você.

Não importa que dois idiomas separem a sua mente ao ponto até de uma metade não entender direito a outra metade. Não importa sequer quem não sabe de você. E muito menos importa que uma importantíssima parte sua (provavelmente a parte MAIS verdadeira sua) more ainda dentro de um armário.

Nada disso importa DESDE QUE você esteja fazendo a sua“tradução simultânea”.

Você entende a metáfora que estou tentando lhe dizer?

Querida, se VOCÊ estiver fazendo a tradução, se você estiver conseguindo ser fiel à mensagem que vem de você, o armário, lhe garanto, é um detalhe absolutamente insignificante.

Não entrarei aqui em questões de movimento de classe ou de visibilidade social. É óbvio que quantas mais de nós estiverem fora do armário, mais chances temos de que, a longo prazo, consigamos alcançar a normalidade que queremos para os homossexuais.

Mas, honestamente, eu não quero que você sofra e vá de encontro às facas pelo resto de nós. Cada caso é um caso. Cada realidade deve ser tratada com a especificidade que ela possui.

A minha ÚNICA preocupação, querida, é que você viva. Não a vida que se espera de você, não a vida que aceitem que você tenha, mas a vida que faz com que a tua boca se transforme em umsorriso.

Pare de achar que todos devem saber para que você tenha a certeza de quem você é. Pare de pensar que há um momento ideal e que um dia algo magicamente acontecerá para que você finalmente viva tudo o que quer viver.

Não é assim que funciona.

Viver sempre foi e sempre será uma questão de escolhas.

As suas escolhas guiam a sua vida e delineiam os seus dias.

Vê a seriedade disso?

É VOCÊ QUEM FAZ OS SEUS DIAS.

Não são as pessoas que não sabem de você, e não são as pessoas que sabem.

É você.

Então, querida, se ainda é necessário, se a única realidade possível para você no momento é a de dentro do armário, não faça disso uma desculpa para não viver.

Os sonhos dos que estão fora do armário, acredite, são EXATAMENTE OS MESMOS dos que estão dentro do armário.

E os passos, olha que irônico, são também os mesmos:

# esteja aberta ao amor – ele te encontra, não é você quem tem que achá-lo

# saiba o que te faz sorrir

– não basta saber o que te faz triste, para deixar entrar o que te alegra de dentro para fora, é necessário que você se conheça

# se respeite – quando você se respeita, querida, as farpas do mundo não entram tão facilmente em você

# quando o momento chegar, deixe que ele realmente chegue – sempre falamos o quão importante é saber dizer não, mas acredite, SABER QUANDO DIZER SIM é a chave para todo acontecimento importante da sua vida

A questão é, querida, que um lugar é o que VOCÊ faz dele.

Em outras palavras, enfeite o seu armário inteiro! Deixe-o a sua cara! Coloque os quadros que você quiser nele, deixe tocar a música de sua escolha, pinte-o com a sua cor preferida, faça com que o idioma falado nele seja o seu.

Porque a verdade é, moça, que a vida pode até não vir no formato ideal muitas vezes, mas você tem um poder que em muitos momentos esquece: o de se aquecer se estiver com frio, o de se molhar se estiver com calor, o de comer se tiver com fome, o de beber se tiver com sede.

VOCÊ, POR ESTAR LUTANDO PARA SER QUEM É, É UMA GUERREIRA.

E uma guerreira, querida, luta independente do lugar em que esteja.

Lembre-se: o armário é um detalhe.

Não deixe que ele limite a sua vida.

Por Helena Paix

Fonte: Blog Strike Brete

http://strikebrete.blogspot.com/2009/04/de-dentro-do-armario.html?showComment=1240014420000#c3442455278145178957


16 de abr de 2009

Dois Caras



Faz muito tempo que eu não saio pra festas e tudo mais pois afinal to trabalhando um monte na ceee + ONG e a escola eu andei deixando um pouco de lado. Mas como eu estava falando nas festas existem dois tipo de caras. Os Lindos da Festa, Uns retardados que acham que são bonitos porque algumas pessoas dizem que eles são, e existem os cara bonitos que são normais simpáticos.

E muitos caras por ai me odeiam e porque eu fui simpatico, é eu fui simpatico eu não tava dando mole. Eu sou simpatico só as vezes fico irritado com certas coisas (cigarro/bebida). 

Você gosta de Min?

10 de abr de 2009

Dias Felizes

Eu sou a pessoa mais azarada da face da terra pois afinal todos os meus melhores dias, ou seja os dias mais felizes, vem antes dos piores dias. dias que me trazem alegrias e que logo são tiradas por min pelos piores dias. Um dia eu vivo o paraiso e o outro o pior dia possivel.

Hojê eu posso estar com medo que meu dia seja bom e me preparo muito bem pra infrentar o amanha porque eu sei que amanha pode não ser um dia ruim mas sim um dia bom :/

Muito comlicado pra sua cabeça?

7 de abr de 2009

Heteros fazem guerra Gays fazem jardins!


As vezes eu não acredito nas noticias, que eu escuto, eu vejo na teve e dou graças a deus por morar num pais onde todo mundo se intende e todo mundo é igual. tem paises que foram separados por um muro por causa de politica e tem paises que foram separados porque existem duas raças diferentes e as duas juntas geram preconseitos. ou naquelas duas cidade que a muito tempo atraz existiam mas em minutos não existiam mais.

um apelo seja um hetero bonzinho e lute por um mundo mais justo entre todas as raças!